Super-heróis e as leis da física

A maioria das pessoas gosta de filmes ou quadrinhos sobre super-heróis e existem tantos que é praticamente fazer uma lista completa deles. No entanto, o que a maioria não pensa ou repara, é que eles quebram muitas leis da física, tornando suas façanhas praticamente impossíveis. Vejamos alguns motivos.

super-heróis e as leis da física
Super-heróis: divindades modernas?

O gosto por heróis vem de bastante tempo atrás e pode ser relacionado com o culto de divindades antigas, que representavam as forças e eventos que os humanos não entendiam na época. Havia um deus para isso, um para aquilo, cada um com seus pontos fortes e fracos.

Os heróis humanos surgiram em estórias inventadas ou histórias aumentadas e exageradas sobre feitos de coragem e bravura. Normalmente há um apelo maior quando existe uma saga, uma penação, um caminho tortuoso, falho e improvável, até que todo potencial do herói surja. Parece haver um desejo comum de sermos mais do que somos, de podermos realizar coisas além da capacidade natural ou até mesmo impossíveis.

Os super-heróis como conhecemos atualmente podem ser caracterizados pelos poderes sobre-humanos e o desejo de proteger os mais fracos e inocentes. Lutam em prol do benefício da sociedade, sem esperar por recompensa. O conceito se popularizou na década de 40, mas a ideia veio do começo do século. Muitos super-heróis foram criados de lá para cá, e a lista só aumenta.

Outras capacidades e poderes foram inventados e encorporados, bem como um lado sombrio e violento na personalidade, dando mais opções narrativas.

Neste Post, veremos o quão impossíveis são algumas das características dos Super-heróis, comparadas com as leis da física que conhecemos.

Leis da física – Tipos de impossibilidades

Apesar de obviamente os Super-heróis fazerem parte apenas do imaginário, cuja beleza está justamente na criatividade de explorar as capacidades e poderes, há alguns que são mais coerentes do que outros. Podemos usar as seguintes categorias para classificar as inconsistências: impossibilidades probabilísticas, tecnológicas, lógicas ou furos nos roteiros e impossibilidades físicas (que terá um destaque maior neste texto).

Impossibilidades Probabilísticas

São aquelas que os super-heróis não violam as leis da física, mas que as chances são tão pequenas de acontecer que podem ser consideradas impossíveis, como por exemplo atravessar paredes ou outras barreiras (por tunelamento quântico), sempre acertar os alvos em todos os disparos, desviar de balas, etc.

Superman: cair no interior dos EUA e ser acolhido por uma família praticamente perfeita moralmente. Cor do uniforme ser das cores da bandeira americana (embora haja a versão soviética). Ser anatomicamente idêntico aos humanos. Não enroscar a capa em algum lugar.

Homem-Aranha: sempre ter um ponto para fixar a teia, mesmo atirando entre prédios distantes. A teia aderir firmemente em qualquer lugar.

Capitão America: lançar o escudo, que ricocheteia, acerta o inimigo e volta para a mão. Ser escolhido para um experimento tão importante. Não guardar rancor ou ter algum problema psicológico pelos abusos sofridos por ser franzino antes do soro.

Gavião Arqueiro e Arrow: sempre acertam o alvo. As flechas não caem da aljava, mesmo com as mais diversas acrobacias.

Impossibilidades Tecnológicas

São aquelas permitidas pelas leis da física e que há razoável chance de acontecerem, mas que ainda não temos o conhecimento ou capacidade tecnológica para a execução, como por exemplo, fabricar armaduras high-tech ou exoesqueletos, naves intergaláticas, nano-robôs para reconstrução de pele e carne, cristais para armazenamento de informações, assistentes virtuais com AI (inteligência artificial) poderosos.

Soros para aumento da força, vitalidade, vigor e longevidade. Implantes que ampliem as capacidades humanas. Criogenia e preservação da vida para longas viagens.

Tecidos super resistentes, que absorvam e armazenem energia, que tenham memória espacial (voltem à forma original) ou se comportem de maneira diferente de acordo com estímulos externos (rigidez ou maleabilidade, conduzir ou isolar eletricidade). Os uniformes dos super-heróis aguentam quase tudo.

Armas de laser compactas, portáteis e potentes.

Materiais leves e super-resistentes ao impacto ou fratura, servindo para escudos, próteses e roupas à prova de balas.

escudo capitão america
Mais que um escudo, um símbolo dos super-heróis

Impossibilidades Lógicas ou furos nos roteiros

São aquelas que exige do espectador a suspensão temporária da lógica e esquecer as inconsistências em prol da narrativa (afinal, é apenas uma ficção e não um artigo científico). No entanto algumas passam um pouco do limite do crível, fazendo com que os super-heróis passem vergonha (ou sintamos vergonha por eles). Você fica com aquela impressão “pô, forçaram a barra aí” ou “porquê não fizeram de tal jeito?”.

É comum planetas em geral terem atmosfera respirável, gravidade parecida com a da Terra, personagens alienígenas falarem inglês (perfeito, ainda por cima) e serem parecidos ou idênticos com humanos. Civilizações distantes com os mesmos valores éticos sobre o que é bom e mau. Gostarem de um bar, de beber e fumar.

Disparos curtos de raio laser não viajam lentamente a ponto de poderem ser vistos ou repelidos. No espaço, não há explosões com fogo e som por causa do vácuo.

Óculos ou pequenas máscaras para esconder a personalidade, que é secreta, mas não tanto. Uniforme colado e fechado, sem abertura para necessidades fisiológicas, usados debaixo da roupa normal. Cabelo e barba, que não queimam ou se danificam em batalhas, mas podem ser cortados ou aparados.

Ser picado por um inseto e obter super poderes parecidos com o do bicho. Ser exposto à altas doses de radiação e adquirir um alter-ego inverso, forte, porém estúpido, no caso do Hulk, ou se tornar quase uma divindade com o Dr. Manhattan, dos Watchmen. Ter injetado em seu corpo o material mais duro do mundo (adamantium) em forma líquida, que substituí todos os ossos e crie lâminas super afiadas como facas.

Convenientemente, a calça do Hulk não rasga por inteiro na maioria das vezes em que é retratada a transformação. Vira uma bermuda.

Não usar portais mágicos para decepar cabeças ou cortar certo braço com uma certa manopla…

Impossibilidades Físicas

São aquelas habilidades que, pelas leis da física que conhecemos atualmente e estamos familiarizados, não são possíveis de serem executadas, como por exemplo voar sem o auxílio de meios externos, mudar o tamanho e composição do corpo, emitir raios de energia pelos olhos, mãos ou boca, viagens no tempo. Vejamos alguns exemplos:

Superman, um dos super-heróis mais conhecidos, tem alguns problemas além da kriptonita.

O Superman não poderia flutuar por que é mais denso que o ar e a força da gravidade o puxa para baixo.

Não poderia voar sem um meio de propulsão. A 3a lei de Newton diz que toda ação gera uma reação contrária e proporcional, sendo necessário dois corpos distintos para que isso ocorra. É impossível que um par de ação e reação forme-se no mesmo corpo [1]. Precisa de algo que o empurre para o alto e avante.

Supondo que ele pudesse voar e fosse duro como o aço, não seria capaz de segurar um avião em queda. Todo peso da nave, somado com a aceleração, geraria uma pressão muito alta em um pequeno ponto (palmas das mãos), causando apenas um furo, da mesma forma quando você pisa na ponta de um prego. Pressão = força/área.

Flash, ou outros super-heróis com super velocidade como Quicksilver (Mércurio) dos X-men, Mulher Maravilha, Superman, Shazan, etc.

Para atingir velocidades tão altas, seria necessária uma fonte de energia para abastecer os músculos. “Na natureza, nada se cria, nada se perde. Tudo se transforma” como disse Antoine Laurent Lavoisier [2]. Além disso, quanto mais rápido se movimentasse, mais energia seria consumida por período do tempo, segundo Einstein com sua famosa E=mc2 .

Segundo leis da física de Newton, ele só pode correr onde houver atrito. Se estivesse parado no gelo, não conseguiria sair correndo do lugar. Pelo mesmo motivo, não pode subir por uma parede.

Por falar em atrito, o calor gerado ao colidir com as partículas do ar, faria com que o corpo todo pegasse fogo, consumindo inclusive o ar de seus pulmões. Morreria sufocado, mesmo que suportasse as chamas.

Se ele subisse uma ladeira à 11,2 km/s (40320 km/h), ao chegar no topo, continuaria em linha reta em direção ao espaço. Essa é chamada velocidade de escape da Terra, necessária para vencer a força atrativa da gravidade. [3]

Homem-Formiga, um dos super-heróis mais subestimados, fere leis da física quântica. Válido para Vespa e outros que mudam de tamanho, inclusive o Hulk.

Segundo a lei da conservação da massa, o homem-formiga não poderia ficar grande ou pequeno sem incorporar ou perder massa corporal. Ou ficaria rarefeito ou super denso. Além disso, precisaria de muita energia para comprimi-lo e explodiria quando voltasse ao tamanho normal.

Quando grande, seus ossos e juntas não aguentariam a força de compressão do peso adicional e se quebrariam. A lei pouco conhecida do “quadrado cubo” diz que, quando um objeto é aumentado, sua área cresce ao quadrado (pois área é lado x lado ou L2) enquanto seu volume cresce ao cubo (pois volume é lado x lado x lado ou L3).

Assim, quanto mais cresce, maior o pressão. Imaginemos um cubo feito com um material com densidade de 1 g/cm3 , com lado de 2 cm, gerando uma área de 4 cm2, volume 8 cm3 e massa de 8 g. A pressão seria então de 8/4 = 2 g/cm2 .Se aumentarmos o lado para 3 cm, teremos: área = 9 cm2, volume = 27 cm3 , massa 27 g e a pressão subiria para 3 g/cm2. Ou seja um mesmo espaço teria que suportar um peso maior. Me desculpem pela matemática, mas não tem outro jeito de explicar.

O homem-formiga quando encolhe vai para o “reino quântico”, mas as leis da física são ignoradas ou mal representadas. Não há superfícies para ele pisar, não há matéria, nem gravidade, apenas energia e ondas probabilísticas; se ele fica menor que um átomo de oxigênio, vai respirar o que? Estando entre sub-partículas, o tamanho dos átomos de seu corpo seriam menores do que o menor tamanho teórico possível que uma coisa pode ter, que é comprimento de Planck (1,616199 × 10−35 m).

O Homem de Ferro é o super-herói probabilisticamente impossível, mas a tecnologia será possível em alguns anos. Sim, um bilionário excêntrico poderia criar uma armadura para si. O problema são algumas coisas que homem de ferro cria.

Ser capaz de criar um elemento químico novo, estável, em quantidade suficiente para ser visto à olho nu, em um dia, usando equipamentos que tinha em sua garagem e que servisse exatamente aos seus propósito. Impossível.

Os elementos químicos são diferenciados pelo número de prótons em seu núcleo. De 1 (hidrogênio) até 118 (Oganesson (antigo Ununóctio)), já estão definidos na tabela periódica. O que ele criou deveria ter de 119 em diante mas, pelo tamanho do núcleo, a força que mantêm os prótons unidos não tem alcance suficiente para deixa-lo estável, decaindo em elementos mais leves.

Kapow nas leis da física
Kapow nas leis da física

Um dos mais próximos da realidade talvez seja o Batman. Ele não tem super poderes e suas máquinas, armas e acessórios do cinto de utilidades são factíveis. Só o usar cueca por cima da calça é uma impossibilidade probabilística.

Para não deixa-lo de lado, tem um problema sério quando ele usa o gancho e o cabo. Normalmente ele atira para qualquer lado e fica bem firmemente fixado, porém quando é rapidamente içado, quando recebe o tranco inicial, era para ter sua mão ou braço arrancados.

Primeiro, seria necessário gancho suficientemente grande para pode criar uma boa ancoragem; o cabo teria quer fino e resistente (alta tenacidade) e com baixo alongamento, para não ocupar espaço, aguentar o peso do morcegão e não esticar quando se balançar (movimento de pêndulo); o lançador teria que ter uma mola ou propulsor com bastante energia potencial armazenada para ser convertida em movimento; o mesmo dispositivo teria que ter um motor potente para retrair o cabo.

Usado para ações velozes, como aparece nos filmes, o mais provável seria o gancho escapar, o cabo romper, o dispositivo se soltar da mão ou arranca-la, junto com o braço.

batman
Batman. Clássico.

Super-heróis que congelam coisas são impossíveis na forma como são apresentados. A 2a lei da termodinâmica, que fala sobre entropia, não permite tal aberração. Leia mais sobre entropia e a farsa Camus de Aquário clicando no link.

Os criadores do Superman com seu sopro, ou Bobby Drake (o homem de gelo dos X-men) ou Nevasca que acompanha o Flash, esqueceram de uma coisa importante: o congelamento implica em retirar calor, ou energia cinética do movimento das partículas, e dissipa-lo. É como uma geladeira: dentro é frio, atrás é quente.

Uma rajada de frio não deveria sair de seus corpos, mas ser ATRAÍDA, no processo de “roubar” o calor do ambiente, precisando depois ser expelido. Uma forma de não quebrar essa lei da física seria um super-herói meio-a-meio: com uma mão esfria e com a outra esquenta, por exemplo.


Este texto não está completo e nem é a versão final.

Qual seu super-herói favorito? Quantas leis da física ele quebra? Lembrou de furos nos roteiros? Não seja lerdo e comente.


Fontes: [1] Leis de Newton, [2] Lavoisier, [3] velocidade de escape

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *