Macho Alfa x Macho Beta

Origem dos termos

macho alfa
Só pode ter um na matilha

Macho alfa:

O termo macho alfa designa o individuo dentro de um grupo animal que seja o mais forte, dominante e que exerça liderança. Há lutas frequentes entre os membros para determinar quem é o mais apto.

As vantagens são maior acesso à comida e a fêmeas para procriação. É um mecanismo natural para que os genes dos melhores da espécie sejam passados para gerações seguintes.

O uso mais comum e conhecido está associado à lobos, o líder da matilha, mas se aplica para outros animais também. Em algumas, a fêmea é que manda. A natureza não faz distinção, desde que seja o melhor para manutenção e perpetuação da espécie. Para o propósito do post, considerarei como sendo os machos.

Macho beta:

Macho beta se aplica aos outros indivíduos de um grupo que não têm o poder, capacidade e recursos para ser o líder, ficando submetido e subordinado ao macho alfa. Podem ser os mais novos, mais velhos (“alfas aposentados”), doentes, fracos ou os sem tendência à confrontação.

Aos do segundo escalão, resta seguir o alfa, ficar com as sobras de comida, copular com menor frequência e, eventualmente, desafiar o líder para o combate. Cada grupo de espécie tem suas formas de determinar quem é o melhor, sendo normalmente na base da luta física. Mordidas, colisões de chifres ou galhadas; aumento da aparência do volume corporal, eriçando pelos ou penas, emissão de sons específicos e expor os dentes.

Macho alfa e beta no contexto humano

Os heróis das antigas histórias, ou mesmo características de deuses mitológicos, remetem à líderes, guerreiros, aventureiros, sedutores e infiéis. Há uma ligação com o poder e riquezas; capacidade de superar desafios, resiliência e superação.

No arquétipo do masculino tem o principio do “ativo”, enquanto do feminino o “passivo” (ou yin e yang ou qualquer outro par complementar). No entanto, todos temos, psicologicamente falando, características de ambos.

Quando se pensa em um herói, imagina-se alguém forte, saudável, adaptável, ativo e destemido. Que enfrenta bravamente os inimigos de qualquer coisa que seja, retornando triunfante das batalhas para os braços da amada ou amantes ávidas e sonhadoras. Esses seriam os “alfa”, os poucos que chegam no topo, enquanto os “betas” são os que ficam pelo caminho.

Caso não saibam, “alfa” é a primeira letra do alfabeto grego e “beta”, a segunda. Ou seja vencedores e perdedores, num contexto mais amplo. Não da para todos estarem no topo.

Por que mulheres são mais seletivas?

Antes de cair em estruturas sociais, culturais e códigos morais, é preciso lembrar que somos animais, guiados por impulsos primitivos e instintivos. A liberação de neurotransmissores e hormônios são feitos automática e inconscientemente. Certas ações só são barradas pelo temor consciente da punição por transgressões às normas e leis que aceitamos sem saber quando nascemos em determinado lugar.

Como animais, as características morfológicas entre machos e fêmeas guiam os comportamentos de maneira a perpetuar a espécie.

Mulheres têm poucos óvulos e período de fertilidade curto, além de alto investimento de tempo de vida para gestação e criação dos bebês. Já os homens tem farta e rápida produção de espermatozoides, podendo gerar filhos em idades avançadas e não sofrem nenhum efeito físico após a concepção.

Assim, as mulheres precisam escolher bem o parceiro, aquele que acredita ter condições de gerar uma boa cria e que as ajudarão com na criação e obtenção de recursos para sobrevivência, como comida, abrigo e segurança. Querem os saudáveis alfas.

Já os homens, quanto mais mulheres fertilizarem, maior a diversificação genética e aumento populacional da espécie, fatores decisivos para sua perpetuação. Mulheres com certas proporções físicas e simetria são as preferidas pelo entendimento que terão bom suprimento de leite e quadris propícios para o parto.

Mesmo que soe frio, evolutivamente foi assim que aconteceu e que continua acontecendo. A única mudança foram os meios materiais de sustento e valores de percepção do que é saudável. Não serão discutidas outras preferências sexuais e desejos exóticos de alguns neste post.

O macho alfa atual

O conceito do que um macho alfa significa foi alterado, reduzindo-o apenas para a capacidade do individuo conseguir o maior número de mulheres bonitas no menor período de tempo possível. Há aqueles altamente competitivos nos esportes ou na carreira profissional, mas o objetivo acaba sendo de conseguir mais poder e recursos para ter acesso às “melhores” mulheres.

Já os “beta” são aqueles tímidos, que têm dificuldades de se aproximar e manter contato com mulheres. Medo de rejeição, de passar vergonha, medo de não suprir as necessidades materiais e emocionais, medo de serem traídos, de não saber o que falar, fazer ou como se comportar, receio de abordar mulheres em grupos.

Há livros, cursos e videos no Youtube que “ensinam” formas de como se tornar um macho alfa, falando desde mudança de mindset até o tipo de roupa para usar. “Truques” para perder a timidez e como fazer as mulheres se sentirem atraídas por você.

Algumas coisas tem um fundo psicológico coerente mas, no fundo, o foco é atrair os “betas” sonhadores para consumir os produtos e serviços dos “alfas”.


E qual o problema?

Apesar de ser um produto direcionado para ajudar determinado nicho, atendendo uma aparente necessidade masculina, tem efeitos colaterais nocivos:

  • Tratam as mulheres como idiotas.
  • Objetivo é a conquista e não o relacionamento. Mulheres são descartáveis no processo.
  • Uso de técnicas de manipulação para suprir necessidades passageiras e egoístas.
  • Comportamentos forçados que não correspondem ao real.
  • Objetificação da mulher como um troféu ou apenas um pedaço de carne ambulante.
  • Agrava os problemas dos tímidos/ inseguros que não conseguem “seguir os passos do programa”. Se não deu certo, a culpa é sua por ser incapaz.
  • Prepotência ao se auto declarar um “macho alfa” apenas por ter um tipo determinado tipo de habilidade interpessoal.

E as mulheres nessa história?

Não tenho como responder adequadamente essa pergunta por um motivo óbvio: não sou mulher. No entanto, posso listar alguns comportamentos que ACHO que estimulam esse tipo de abordagem.

feminino
Mulheres sabem mais
  • Algumas mulheres gostam de ser desejadas e de ver bandos de iludidos se esforçando para agrada-las. Narcismo e egocentrismo. Necessidade de aprovação externa.
  • Outras não querem relacionamento sério. Querem variar mesmo. Sexo pelo sexo.
  • Mulheres gostam de “cafajestes” por terem características de uma macho alfa, ou macho alfa é termo moderno para cafajestes?
  • Aparente decaimento na seletividade feminina.
  • Mulheres descaradamente interessadas no tamanho da… conta bancária.
  • Cultura atual permite, e as vezes estimula, comportamentos que antes eram tachados como imorais.
  • Reclamações que há poucos “macho alfa” disponíveis no “mercado”.
  • Midia ambígua que ao mesmo tempo mistura casos de violência contra mulheres e luta por direitos iguais com exposição de sub-celebridades semi-nuas ou com “boa forma física”. Olhe, mas não toque. Me visto como quero e exijo que me respeitem, não sou puta, só quero que paguem minhas contas.

Depois ficam assim, reclamando a toa.

E você, é quem nesta história? Comente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *